• Guilherme Cardoso

Ministro do STF já entra sob suspeitas


Olha, eu não tenho nada contra esse ou aquele ministro do STF não. A minha crítica é com o modo que os candidatos chegam a ser ministros do Supremo Tribunal Federal.

Você que está me assistindo agora, acha correto, ética e moralmente, que um ministro da mais alta corte do país, que julga os casos mais complicados e importantes, seja indicado pelo presidente da República?

E você acredita que esse ministro, depois de empossado, mesmo tendo uma reputação sem manchas, em algum momento vai ser capaz de julgar, ser isento e condenar aquele que lhe deu uma vaga das mais cobiçadas no país?

É difícil de fazer um prejulgamento das atitudes de quem quer que seja, mas, pela lógica humana e pelo sentimento de gratidão que devemos ter com aquele que em algum momento nos ajuda, nos incentiva ou nos promove, o mais certo e esperado é que um candidato indicado a ministro pelo presidente da República já toma posse com fortes suspeitas.

Qual a solução para que isso não aconteça?

Ministros do STF deveriam ser indicados e votados por um Colégio de Promotores e Procuradores do MPF, aí sendo utilizados os critérios de meritocracia dos indicados, como idade, tempo de serviço, Educação e atividades exercidadas.

Esta é a minha opinião. Você tem a sua.

0 visualização