• Guilherme Cardoso

Ser políticos não é fácil


Olha aqui. O sujeito para ser político, candidato a algum cargo ou interessado em alguma vaga em empresas governamentais, tem que ter muita cara de pau, tem que jogar seus bons princípios para debaixo do tapete, não deve ter ideias e pontos de vistas sobre sobre nada. Tem que ser oportunista.

Veja o caso do presidente Bolsonaro. Elegeu-se pelo partido PSL, juntou uma turma em sua volta, deu cargos a mundo gente no início. Meses depois de eleito, começou a dispensar, demitir e até esculachar companheiros e amigos que o ajudaram a se transformar presidente da República.

Primeiro foi o Bebiano, seu líder político, já falecido, depois o Mandetta, o Marcos Cintra,a Joyuce Hasselman, o seu baluarte contra a corrupção, Sérgio Moro, e o desligamento cheio de graves acusações do partido que o elegeu, o PSL.;

Ficou sem partido e disse que iria criar um partido só para ele, com gente que pensasse como ele. O Aliança Brasil.

Não deu em nada. Não conseguiu 10% por cento das inscrições necessárias. Agora, decide voltar ao seu partido de origem, aquele que o elegeu e aquele a quem ele desprezou e achincalhou.

E já começa a aparecer em fotos abraçado com antigos inimigos, chamados de traidores outro dia mesmo.

Será que o jogo político tem que ser assim mesmo? Será que os seus jogadores, os políticos, precisam mesmo se apresentar aos seus eleitores como pessoas sem caráter, mentirosas, que nunca cumprem o que falam e que prometem?

Não acho que deva ser assim. O presidente da República e a classe política deveriam ser a bússola que norteia os seus seguidores, nesse caso o povo, que tem que acreditar e respeitar os seus políiticos escolhidos em eleições.

É preciso que as palavras dos nossos líderes sejam pensadas e refletidas antes de serem pronunciadas. Negar a gravidade da pandemia, incentivar as pessoas a usarem um remédio contra o vírus que não tem validade científica, e agora, depois de tanto bater e criticar e acusar ferozmente seus antigos companheiros políticos, simplesmente os acolhe e convida a participar do banquete de interesses políticos, como se nada tivesse acontecido.

O motivo todos sabem e está muito claro. Ganhar popularidade e garantir a reeleição em 2022.

Esta é a minha opinião. Você pode ter a sua.

0 visualização